Nossos ídolos chamados de Relacionamentos amorosos |Entre Aspas

sábado, 16 de setembro de 2017 Nenhum comentário

Muitos de nós somos cristãos ortodoxos e fervorosos. Cremos nas doutrinas da Graça, nos 5 pontos do Calvinismo, assistimos 5 sermões do Charles Spurgeon por dia e vamos à igreja todo domingo, religiosamente. Até que aparece alguém no nosso caminho com um rosto bonito e uma personalidade agradável. Não precisa ser verdadeiramente cristão, nos contentamos em ouvir um: “acredito em Deus”…
Tudo que aprendemos durante anos, jogamos no lixo e finge que nunca aprendeu. Todos os princípios bíblicos que defendíamos ferrenhamente, são ignorados como se deles nunca tivéssemos ouvido falar. Todos os ideais de santidade e pureza que outrora almejávamos em um relacionamento, agora não tem sentido, quem dirá importância. Em nome do nosso pecado mascarado de amor, nos vestimos de lobos para que possamos suprir as expectativas do nosso companheiro. Então, aderimos voluntariamente a todos os hábitos pecaminosos daquele de quem gostamos, pois de outra forma não seria possível conviver, o relacionamento chegaria ao fim. E nós, como bons idólatras, não podemos deixar nosso ídolo escapar de nossas mãos.
À semelhança de soldados que fracassam antes mesmo de irem para a guerra, nós baixamos a guarda; nos rendemos e entregamos nossas armas ao inimigo de nossas almas. Dizemos a nós mesmos em voz baixa:
“Preciso satisfazer a concupiscência da minha carne. Não importa se estou pecando. Não me interessa saber se meu relacionamento é bíblico, ou se estou me envolvendo com um falso cristão, basta que meus sentimentos sejam correspondidos e minhas carências emocionais estejam sendo supridas.”
Mas, como somos orgulhosos demais para admitirmos que nosso coração nunca desarraigou do mundo e seus prazeres, seguimos usando nossas máscaras de cristãos, pregando dois discursos excludentes entre si, um com nossa vida e outro com nossas palavras. Assim, lemos livros teológicos, acompanhamos bons pregadores, lemos a Bíblia periodicamente e oramos sempre antes de dormir, enquanto conservamos nossos amores impuros, promíscuos e abomináveis perante Deus.
Lembremo-nos: ovelha que se veste de lobo nunca foi ovelha. Por isso, analisemos a nós mesmos a fim de sabermos se somos verdadeiramente salvos, ou se até então foi tudo uma farsa.

Andressa Pécora.
umsocorroameianoite.com.br/tag/andressa-pecora/

Por que devo perdoar?

sexta-feira, 15 de setembro de 2017 Nenhum comentário


    Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: "Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes? "

Jesus respondeu: "Eu lhe digo: não até sete, mas até setenta vezes sete.
"Por isso, o Reino dos céus é como um rei que desejava acertar contas com seus servos.
Quando começou o acerto, foi trazido à sua presença um que lhe devia uma enorme quantidade de prata.
Como não tinha condições de pagar, o senhor ordenou que ele, sua mulher, seus filhos e tudo o que ele possuía fossem vendidos para pagar a dívida.
"O servo prostrou-se diante dele e lhe implorou: ‘Tem paciência comigo, e eu te pagarei tudo’.
O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir.
"Mas quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve! ’
"Então o seu conservo caiu de joelhos e implorou-lhe: ‘Tenha paciência comigo, e eu lhe pagarei’.
"Mas ele não quis. Antes, saiu e mandou lançá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.
Quando os outros servos, companheiros dele, viram o que havia acontecido, ficaram muito tristes e foram contar ao seu senhor tudo o que havia acontecido.
"Então o senhor chamou o servo e disse: ‘Servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou.
Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você? ’
Irado, seu senhor entregou-o aos torturadores, até que pagasse tudo o que devia.
"Assim também lhes fará meu Pai celestial, se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão".
Mateus 18:21-35


  
O contexto da pergunta de Pedro é sobre os versos anteriores que Jesus  ensinava como devemos tratar o nosso irmão culpado, os rabinos ensinavam que deveriam perdoar três vezes e usavam as passagem de Amós quando Deus perdoou só três vezes os inimigos de Israel. Quando Jesus fala de "setenta vezes sete" é sem conta ou seja, o perdão não tem limites, não é um determinado número de vezes que temos que perdoar. E Jesus começa a explicar sobre este perdão na parábola do credor incompassivo, primeiro havia um servo (nós) que devia uma quantia enorme para o seu senhor (representa Deus), e era enorme a dívida que não tinha condição de pagar então o seu senhor o perdoou.  Só que existia um rapaz que devia ao servo perdoado, só que com uma menor quantia, e ele até usa a mesma súplica que o servo perdoado usou diante de seu senhor, mas este servo (perdoado) exigia velozmente que aquele rapaz o pagasse. Essa história é tão clara e forte, muitas vezes quando alguém nos fere  não queremos perdoar por causa da nossa dor, por parecer a coisa mais horrivel de nossa vida e ainda declaramos que recebemos o perdão do Senhor. Essa passagem nos exorta aquilo que o nosso Senhor quer de nós, ele quer que perdoemos, mostremos ele através do nosso perdão para com os outros, e o último verso mostra a consequência do servo que não mostrou misericórdia para com o seu próximo. E Jesus acaba as instruções sobre como devemos agir com o nosso próximo.
 Nós mulheres muitas vezes carregamos  amarguras, mágoas (entre outros sentimentos) e a falta de perdão está bem no nosso coração e acabamos olhando para nós mesmas e esquecemos do perdão que recebemos de Cristo mesmo sem merecer, Ele nos perdoou como fez este senhor da parábola. Primeiro o perdão de Deus é ilimitado por nós e segundo devemos agir dessa forma com aqueles que nos ofendem. Devemos perdoar por vivermos agora como uma nova criatura, essa atitude é totalmente carnal (Gl. 5.19); Somos como este servo que tendo uma quantia enorme que não tinha como pagar o seu senhor lhe perdoou, e nós sem condição alguma de pagar a dívida que tinhamos com o nosso Deus mesmo assim Ele nos perdoou, e isso mostra a misericórdia do Senhor para conosco, e ele quer que venhamos mostrar isso com aqueles que agiram mal conosco, quando não fazemos agimos pela a nossa carne e isso desagrada a Deus, passamos a agir pela a nossa natureza decaída e longe de Deus. O perdão é a virtude de todo aquele que conheceu o perdão do Criador. Será que perdoamos sem limites aqueles que nos ofenderam? será que perdoamos de verdade? Será que glorificamos á Cristo nessa parte?
Devemos viver esta vida para glória do nosso Senhor e não para nossa. Independente do que fizeram com você tenha certeza que essa dívida é pouca comparada com a dívida que você tinha com o próprio Deus e mesmo sem precisar de obra alguma sua ele perdoou você.


 O último versículo fala da condenação que teve este servo por não usar de bondade para com aquele que lhe devia, o Senhor pune o seus filhos quando não praticam o perdão que receberam ( Hb.12. 5-7)

   Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas".
Mateus 6:15 

Quando não perdoamos é como se  nós não tivesse recebido o perdão do Pai celeste, e devemos perdoar por receber o perdão dos nossos inúmeros pecados, não somos melhores do o nosso semelhante, somos pecadores e estamos sujeitos a errar. O  perdão é aquilo que Deus ameaça tirar dos cristãos que se recusam a perdoar o próximo.
    Que o Senhor nos ajude de fato para compreender essas verdades !


- Yas Almeida


Um Deus que guia tudo e todos

domingo, 10 de setembro de 2017 Nenhum comentário

     Os passos do homem são dirigidos pelo Senhor. Como poderia alguém discernir o seu próprio caminho?

Provérbios 20:24
Essa passagem mostra claramente que a responsabilidade humana está sempre sujeita à Soberania absoluta de Deus. Ao ver um certo dia sobre Saul e como o Senhor fez com que todas as coisas se ligassem para que no final ele morresse por causa de seu pecado, vi o quanto nosso Deus é Soberano de uma tal forma, que guia nossos caminhos e até dos ímpios (pv.21:1), faz com que eu entenda tudo o que acontece em minha vida, por mais que a gente tome decisões erradas ou certas mas existe um Deus que ainda permanece no controle de tudo. Certos momentos quando pecamos, ele permite aquilo para que a gente aprenda e se arrependa, nada nessa vida acontece por acaso e nada do que acontece aqui está fora do controle de Deus por mais que seja absurda essa ideia mas temos um Deus que sabe o que faz. Ao entender isso me faz confiar mais nEle e menos em mim mesma, em saber que eu não sou nada e que se hoje eu estou viva não é porque eu quero ou decidi, mas por causa dEle. Independente do que venha acontecer em nossas vidas Ele já sabia o que iria acontecer e permanece no controle. Quando pecamos não é porque Deus nos tentou, mas Ele já sabia que iríamos pecar. Temos um Deus Poderoso e, que se quisesse se livrar de nós já teria feito isso, estamos nas mãos de um Deus poderoso e Soberano. O que acho interessante é que Ele não só nos salvou e perdoou mas nos guia todos os dias. Nossa confiança nEle deve aumentar quando entendemos essas verdades e saber que independente do que aconteça conosco temos um Deus que cuida de nós e sabe o melhor para nós. E agora eu entendo claramente uma frase de Lutero que diz o seguinte “Não sei por quais caminhos Deus me conduz, mas conheço bem meu guia”. Em saber que Ele não só nos guia mas sustenta tudo no universo e que se Ele não fizesse isso não estaríamos aqui (Cl 1:16-17).
Uma aplicação prática é que devemos confiar mais no Deus que nos guia, por mais que pareça difícil nossa vida, estamos nas mãos de um Deus sábio, e também para nossa ansiedade pelo que ainda nem vivemos e que se a gente corre hoje por causa de nossa ansiedade não vai acrescentar nada, temos um Deus que está cuidando de tudo, como eu disse já que confiemos neste Deus sabe cuida de nós ♥

Confiando no perdão de Deus

sexta-feira, 8 de setembro de 2017 Nenhum comentário
   Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. 
 [1 João 1:9 ]

As vezes é tão dificil nos esquecer dos pecados passados, quando lembramos o quanto pecamos contra  Deus chega doí o coração e as vezes acabamos com aquela velha dúvida "será que o Senhor me perdoou?", devemos entender o perdão do nosso Deus e assim não sentir mais peso no coração ao lembrarmos mas nos alegrar por ter recebido o perdão do Senhor.
Se hoje temos acesso ao perdão, não foi consquistado por nossas obras e sim por meio de Cristo. Quando confessamos ao  Senhor os pecados, ele nos perdoa, claro que isso só pode acontecer com um arrependimento genuíno, e quando duvidamos é como se Cristo não fosse suficiente ao ponto de pagar os nossos pecados, o perdão do Senhor é perfeito, o sacrificio de Cristo foi perfeito para perdoar todos os nossos pecados, por mais que doa as vezes lembrar de nossos pecados antes cometido devemos ter a confiança em um Deus que nos perdoou e é maior do que tudo isso, lembremos desse versículo que é uma promessa, sabemos que o nosso Deus não mente e nem volta atrás, ele prometeu nos perdoar quando confessamos, somente nele há fidelidade e justiça para nos purificar, somente em Deus encontramos o descanso para nossa aflita por causa dos pecados.

..e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz, (CL. 2.14) 

Por meio do sacrificio de Cristo nossa dívida foi totalmente paga, ele fez aquilo que não podíamos fazer por nossos próprios pecados. E o mais constrangedor para nós pecadoras, é que ele não nos trata conforme os nossos pecados (Sl 103.10) se não fosse Jesus hoje não tínhamos perdão para os nosso pecados, que possamos confiar no perdão do Senhor e nos alegrar  que mesmo sem merecer recebemos o perdão ♥



Quem éramos ?

sábado, 2 de setembro de 2017 Nenhum comentário


Hoje é domingo, é um dia de lembrarmos do que Cristo fez por nós pecadores, não só nos domingos mas todos os dias, hoje é um dia específico por não termos geralmente a mesma rotina da semana, um dia de buscarmos ao Senhor pela a oração e o conhecer pela a leitura bíblica, é um dia de renunciarmos certas coisas para dedicar o dia para o nosso Deus.
Nessa pequena reflexão sobre o domingo, quero lembrar de quem éramos antes de Cristo ter nos dado vida.

Antes vocês estavam separados de Deus e, em suas mentes, eram inimigos por causa do mau procedimento de vocês.
    (Colossenses 1:21 )

O termo "separado" no grego quer dizer estranho ou afastado. Estávamos longe do nosso Deus, estávamos separadas do Criador, éramos escravos do pecado, nossa mente era maligna totalmente contrária do Senhor, o pecado faz parte da natureza humana. Nem um bem habita em nós, somos pecadoras e que necessita do nosso Deus que é totalmente SANTO. Neste dia que possamos lembrar dessas verdades e olhar para dentro de nós e ver os nossos pecados e  se arrepender deles, isso só acontece é claro pelo o convencimento do Espírito Santo, que possamos de fato neste dia chorar pelo os nossos pecados e pelo os perdidos que ainda não foram alcançado pelo o evangelho, sabendo que aquela pessoa está separada do Senhor por sua mente está totalmente voltada para o pecado, sendo dominado pelo o pecado.

E que possamos nos alegrar :

 Quando vocês estavam mortos em pecados e na incircuncisão da sua carne, Deus os vivificou juntamente com Cristo. Ele nos perdoou todas as transgressões,
e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz,
(Colossenses 2:13,14 )

O Senhor nos deu vida juntamente com Cristo na sua ressurreição, perdoando os nossos pecados, pagou a dívida que tinhamos com o Criador. Vemos que não foi por nosso próprio mérito mas por causa do Cristo que foi crucificado e que hoje vive e nos deu vida, hoje temos paz com o Criador por causa de Cristo, devemos nos alegrar pois nossos pecados foram perdoados, devemos confiar neste perdão que alcançamos por meio de Cristo.

          Nenhum pecador jamais foi salvo por entregar seu coração a Deus. Não somos salvos por nossa entrega, somos salvos pelo que Deus entregou.
A. W. Pink 

- Yas Lima.


ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar. (Isaías 53.10)

quinta-feira, 31 de agosto de 2017 Nenhum comentário



     Jesus não lutou contra seu Pai zangado, jogando-o ao chão e tirando-lhe o chicote. Ele não o forçou a ser misericordioso para com a humanidade. Sua morte não foi um consentimento malogrado da parte de Deus de ser condescendente com os pecadores. Não, o que Jesus fez ao sofrer e morrer foi ideia do Pai. Foi uma estratégia de tirar o fôlego, concebida antes mesmo da criação, enquanto Deus via e planejava a história do mundo. É por isso que a Bíblia se refere a "sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos" (2Tm 1.9)


Já no Antigo Testamento o plano estava se desenrolando. O profeta Isaías predisse os sofrimentos do Messias, que tomaria o lugar dos pescadores. Ele disse que Cristo seria "ferido por Deus" em nosso lugar.

O que mais me surpreende nessa substituição dos pescadores por Cristo é que a ideia partiu de Deus. Cristo não interferiu no plano de Deus de castigar os pecadores. Deus planejou que ele estivesse ali. Um profeta do Antigo Testamento disse: "Ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o? enfermar" (Is 53.10)

Isso explica o paradoxo do Novo Testamento. De um lado, o sofrimento de Cristo é o derramar da ira de Deus por causa do pecado. Mas de outro lado, o sofrimento de Cristo é um belíssimo ato de submissão e obediência à vontade do Pai. Assim, Cristo exclamou da cruz: "Deus meu. Deus meu, porque me desamparaste?" (Mt 27.46). Contudo, a Bíblia diz que os sofrimentos de Cristo eram um perfume para Deus: "Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave" (Ef 5.2)

Ah! Se pudéssemos adorar a maravilha tremenda do amor de Deus! Não é sentimentalista. Não é simples. Por nossa causa, Deus fez o impossível: derramou sua ira sobre seu próprio Filho - aquele cuja submissão o fez infinitamente não merecedor de receber tal castigo. No entanto, a própria disposição do Filho de receber essa ira foi preciosa aos olhos de Deus. Aquele que levou a ira foi amado infinitamente.

Livro: A paixão de Cristo
#2razão 


Qual a fonte da nossa alegria?

quinta-feira, 24 de agosto de 2017 Nenhum comentário

Alegrem-se sempre.
    (1 Tessalonicenses 5:16) 

A bíblia estar repleta de passagens sobre alegria, e o que é alegria?  Na bíblia alegria é a atitude do cristão em meio as situações ,ou seja, devemos estar sempre contentes com o que temos e o que Deus fez por nós e ainda faz, com essa certeza vamos nos alegrar em todo o tempo e este versículo deixa bem claro isso.  

Finalmente, meus irmãos, alegrem-se no Senhor! Escrever-lhes de novo as mesmas coisas não é cansativo para mim e é uma segurança para vocês.
Filipenses 3:1 

"Alegrem-se NO Senhor"  que significa a esfera na qual existe a alegria dos cristãos e não está ligada a esta vida, não é algo que possamos encontrar dentro de nós por ser um dom de Deus. Nossa alegria não pode depender das circunstâncias que passamos aqui e sim em Deus que somente nEle podemos encontrar essa alegria que é um espírito confiante e feliz pelo o seus feitos e não relacionada a nós. Se nossa alegria depende dessa vida nunca vamos ser felizes de verdade, a verdadeira alegria só encontramos em Deus, esse mundo não pode nos oferecer. Alegria não é resultado de  circunstâncias favoráveis, e ocorre mesmo que nada esteja bem, por que quando nossa alegria está em Deus o que passamos nesta vida não é nada pois nossa maior alegria é poder ter hoje [por meio de Cristo] acesso ao Pai e pela a salvação que temos, graças á Deus ! 
 Nós mulheres devemos relembrar sobre essas verdades dia após dia, que quando estávamos na escuridão o SENHOR nos resgatou e nos trouxe vida por meio de Cristo nosso Senhor e Salvador, se hoje vivemos é por causa de Cristo, que não venhamos esquecer dessas verdades. 


Eu me regozijo na tua promessa como alguém que encontra grandes despojos.
(Salmos 119:162)

Nossa alegria não pode depender das circunstâncias que passamos nesta vida, alegria que todo cristão deve ter deve ser pelo o que o Senhor é na vida dele e o salmista  encontra alegria nas promessas do Senhor e que essa deve ser a nossa grande alegria. Que as escrituras possa ser a única que venhamos encontrar essa alegria. Uma alegria que não depende do que passo aqui ou das pessoas mas uma alegria permanente e que temos também a confiança em um Deus Soberano e que está no controle de tudo. Que venhamos nos alegrar nas verdades de Cristo e que possa nos guiar pois os decretos do Senhor nos dar direção. Como alguém que encontra algo valioso que lhe traz grande alegria, que essa possa ser a realidade em nossas vidas, as palavras do Senhor é algo valioso e é verdade, que o Senhor nos ilumine acerca dessas verdades.


 
Desenvolvido por Michelly Melo.