Trabalhar fora não é a regra, é a exceção | Entre Aspas

terça-feira, 22 de agosto de 2017 Nenhum comentário
  • Ser do lar não é inferior, sem valor, não é ser fraca, como gritam e esbravejam as feministas. É um privilégio para nós, mulheres, que entendemos o Evangelho e cumprimos com contentamento e dedicação o nosso ministério: cuidar de nossa casa, dos nossos filhos e do nosso marido. Esse é o nosso ofício, é o que Deus nos chamou para fazer. Trabalhar fora deve ser a última opção… só em casos de extrema necessidade (em virtude de dificuldade financeira ou algo do gênero). Lavar a louça, preparar uma comida saborosa, lavar as roupas, limpar a casa… todas estas atividades “pequenas” (e ao mesmo tempo grandiosas) são demonstrações de amor; e realizá-las com alegria e gratidão é, sim, uma forma de glorificar a Deus na nossa “rotina”. Vejo muitas mulheres desmerecendo as tarefas cotidianas e classificando-as de “tediosas”, “cansativas”, “massantes”, e dessa forma não conseguem enxergá-las como atos de serviço e obediência a Deus. 
  • Não devemos pensar que glorificar a Deus restringe-se a ser um pastor ou um missionário. O Glorificamos também quando realizamos, sem murmurar, atividades simples porém necessárias. Nesse momento atual de minha vida eu sou uma mulher solteira, mas o desejo de meu coração é casar e constituir uma família… e, se assim Deus quiser, futuramente quando o meu amado sair para trabalhar e colocar a comida dentro de casa, alguém precisará realizar as tarefas domésticas e prover uma educação cristã e exemplar para os nossos filhos. E, sendo casada com um homem que daria a vida por mim (como Cristo deu a vida pela Igreja), esse serviço não será, sob nenhuma perspectiva, um fardo, e sim um dos maiores prazeres da minha vida.

  • Ver a felicidade e satisfação de meu marido ao chegar cansado em casa e encontrar um lar limpo e arrumado e uma esposa sempre pronta a servi-lo, auxiliá-lo e apoiá-lo vai ser a minha grande “realização profissional”. Nenhuma “carreira dos sonhos” seria capaz de me proporcionar maior júbilo do que o ofício de ser dona de casa.
    O meu apelo é apenas este: que não nos rendamos aos discursos feministas.
    Como cristãs, devemos buscar compreender o que Deus requer de nós como mulheres solteiras ou casadas e não nos submetermos às nossas ambições egoístas por “independência” e “sucesso profissional”. Por fim, deixo aqui uma frase de Dwight L. Moody:

  • “Uma vida, apenas, logo passará. Apenas o que for feito para Cristo permanecerá.”

  • O propósito da nossa peregrinação nesta terra não é buscar realizações passageiras, não é dar voz aos anseios fúteis de nossos corações… e sim glorificar a Deus com tudo o que temos e somos. Com isto posto, devo afirmar que uma mulher verdadeiramente cristã não entrará em uma “luta de braço” com Cristo para fazer prevalecer as suas vontades, mas aceitará de bom grado o ministério que lhe foi conferido.

Andressa Pécora

Um Deus que atende a nossa oração

quinta-feira, 10 de agosto de 2017 Nenhum comentário

O Senhor ouviu a minha súplica; o Senhor aceitou a minha oração. (Sl. 6:9) 

Nós somos tão errantes com o Senhor, as vezes nos esquecemos do que ele fez por nós e ainda faz. Quando estamos  angustiadas e desesperadas para onde corremos?  Temos um Deus que nos ouve e prometeu nos ouvir (Lc 11.9-10), quando estamos assim não há outro lugar melhor do que lamentar e se derramar em oração é o nosso maior conforte nesta vida. O que me deixa mais encantada com esse Deus é que por mais que ele saiba quem somos ainda nos ouve e tem grande misericórdia conosco. O mesmo Deus que ouviu o salmista é  o mesmo Deus que vive hoje, e que nos ouve com amor e grande misericórdia, não devemos ter medo de se achegar a ele, a ira de Deus não pode mais nos destruir por causa de Cristo que bebeu o cálice da ira de Deus. Venhamos nos achegar ao Senhor com confiança no seu amor e perdão, ele ouve nossa súplica e aceita nossa oração. Não estamos sozinhas e quando estamos aflitas o nosso maior  refúgio  é no próprio Deus
 Os salmos nos ensina como orar e devemos nos aproximar do nosso Deus com essa confiança que ele ouve nossa súplica e atende nossa oração. Essa passagem nos mostra um Deus que ouve e está com o seus filhos.

   Responde-me quando clamo, ó Deus que me faz justiça! Dá-me alívio da minha angústia; Tem misericórdia de mim e ouve a minha oração. (Sl 4.1) 

A História de Ana ❤

Nenhum comentário


E fez um voto, dizendo: Senhor dos exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, mas à tua serva deres um filho varão, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha.

1 Samuel 1:11 🌷

Ter um coração amargurado é como entrar de penetra, sem ser convidada para sua própria festa de aniversário.
Todos à sua volta estão felizes e comemorando algo que você reconhece a importância, mas não se sente parte. Você sabe que não deve alegrar-se, está tão triste por não ter sido convidada que não consegue ficar contente. A amargura prende sua atenção e amarra você. 
Se havia alguém que sabia disso tudo, era Ana.
Seu marido, Elcana amava-a profundamente, mas ela não tinha filhos. Dessa forma, ele tinha o direito de ter outra esposa para perpetuar sua descendência. Penina, a outra esposa, sabia do, amor de Elcana tinha por Ana, por isso provocava a a humilhava por estar estéril.

Ana nem conseguia aproveitar tudo o que o amor de seu esposo lhe proporcionava, pois ela queria mesmo um filho. Todos os anos, sua família ia peregrinar no templo de Deus. De acordo com a Bíblia, o Senhor havia deixado Ana estéril. Ela podia sentir-se revoltada com seu Senhor, por sua condição, mas em vez disso, procurou auxílio Nele. Certa vez, ao entrar no templo, ela começou a orar intensamente e a chorar. Seus lábios se moviam, mas sua voz não saia, ela orava com o coração tão aflito, que o profeta Eli, sacerdote do templo, julgou que ela estivesse embriagada. Naquele dia ela fez uma promessa: caso tivesse um filho, este serviria desde criança ao Senhor, e ela o entregaria para ser criado pelo profeta.
Prometer devolver o presente ao Senhor é diferente de barganhar com Deus. Ou será que é possível "enganar" aquele que é onisciente? Deus conhece seu coração e sabe quando a promessa é de gratidão e quando o intento do coração é mal. Deus então deu um filho a Ana, Samuel, depois de desmamar a criança, com consentimento de seu marido, ela apresentou seu filho ao Templo.
Samuel foi um dos grandes profetas da história de Israel e por suas mãos foram ungidos Saul e Davi, reis da nação de Israel.

Ela ensina: Ana poderia ter lançado sua tristeza sobre si mesma, tornando-se amarga, mas, em vez disso, ela derramou sua alma diante de Deus e aguardou sua resposta. Ana fez um voto e cumpriu, ela sabia que Deus tudo pode fazer.
Que venhamos ser assim, aguardar a resposta, se derramar perante Deus de todo coração e desanimar jamais, a Oração faz toda diferença.



Via Janaina Alves, no grupo Mulher Virtuosa do facebook.

Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? (v.5)

sexta-feira, 4 de agosto de 2017 Nenhum comentário
              Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus.
A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando poderei entrar para apresentar-me a Deus?
 Minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia e de noite, pois me perguntam o tempo todo: "Onde está o seu Deus? "
Quando me lembro destas coisas choro angustiado. Pois eu costumava ir com a multidão, conduzindo a procissão à casa de Deus, com cantos de alegria e de ação de graças entre a multidão que festejava.
Salmos 42:1-4

      Este salmo mostra a sede do salmista no Deus vivo, primeiro ele se compara com uma "corça" é um animal da mesma família dos veados e era muito conhecida na época, e este animal pula bastante e quando tem sede e não encontra água grita, e a alma do salmista gritava por causa da grande sede que sua alma almejava.
O verso 2 é muito interessante por que naquela época o povo só podia adorar o Senhor em Jerusalém e provavelmente o salmista não estava em Jerusalém (v.4), e por não está lá sua alma gritava de tanta sede que sentia de estar na casa do Senhor. Hoje temos a grande oportunidade de buscá-lo em todo o lugar que estivermos e as vezes nossa alma almeja qualquer coisa menos a presença do Senhor, nossas vidas estão preenchidas com as coisas desta vida e ansiamos por tudo e esquecemos dAquele que pode satisfazer a sede de nossa alma. 
 Antes o salmista se alimentava com a palavra de Deus, mas agora ele se "satisfazia" com suas lágrimas. Estar longe de Deus era o pior castigo que o salmista podia ter, sua alma estava perturbada sem a presença do Senhor, cada vez mais que se distanciava de Jerusalém sua alma gritava por querer o Deus vivo! 
 Nós mulheres temos muitas responsabilidades nesta vida, mas precisamos cada dia mais buscar Aquele que encontramos descanso para nossa alma abatida, podemos passar por dificuldades, angustias, mas este salmo nos assegura que temos um Deus pronto a ouvir o grito da nossa alma aflita, o salmista derrama o seu coração em oração e isso nos ensina a orar e derramar o nosso coração em oração, temos um Deus que prometeu ouvir nossas orações [Lc 11.9-10]   e ele nunca vai nos abandonar. E que possamos ter sede pelo o nosso Deus, pois sempre está conosco independente do que venha acontecer em nossas vidas, é um Deus presente e não distante. Para a alma aflita e abatida o único lugar certo a ir é para o nosso Deus o buscar, pois somente nEle podemos encontrar paz em meio as angústias. 
Vale lembrar que hoje não precisamos ir a Jerusalém para buscar ao nosso Deus, podemos o encontrar em qualquer lugar, com a convicção que estamos sendo ouvidas e que somente em Deus encontramos o alimento para nossa alma, que nossa alma almeje pelo o Deus vivo aquele que nos resgatou das trevas e trouxe para o seu reino, se não fosse Ele, estávamos perdidas! 

   Por que você está assim tão triste, ó minha alma? Por que está assim tão perturbada dentro de mim? Ponha a sua esperança em Deus! Pois ainda o louvarei; ele é o meu Salvador e
o meu Deus. A minha alma está profundamente triste; por isso de ti me lembro desde a terra do Jordão, das alturas do Hermom, desde o monte Mizar.
Salmos 42:5,6 

Quando estamos com a alma perturbada, o que fazer? Buscar em pessoas a paz? Ou em objetos? A resposta é não, o v.6 é a resposta, devemos buscar ao Senhor quando estamos assim, Ele é nosso salvador e Deus, confiemos nEle somente.



 - Yas Almeida 

Que amor é esse?

quinta-feira, 27 de julho de 2017 9 comentários


    De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios.
Dificilmente haverá alguém que morra por um justo; pelo homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer.
Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores
(Romanos 5:6-8)

      Uma passagem bem conhecida no nosso meio e pouco refletida. Devemos relembrar sempre dessas verdades dia após dia, quando esquecemos de quem éramos e de onde Cristo nos tirou passamos a olhar para esta vida. Quando nós éramos ímpios, longe do próprio Deus, Cristo morreu por nós lá na cruz, se a gente fosse bom até que ele poderia morrer sorrindo e feliz mas éramos fracos, mortos espiritualmente e mesmo assim ele morreu por nós lá na cruz, nos comprou sabendo quem éramos (fracos e miseráveis), ele não nos tirou da escravidão cego de amor ao ponto de não ver o nossos defeitos mas ele sabia quem era aqueles que estava resgatando das trevas. A maior prova de amor que nós mulheres temos é que Cristo  se entregou lá na cruz voluntariamente, quando  estávamos mortas em nossos pecados e delitos (Ef.2.1) 
Nós não merecemos nada desse Deus tão bom e misericordioso mas nos resgatou do mundo das trevas. 
Um Salmo que faz a gente refletir no seu fiel amor, é: 

    Mas o amor leal do Senhor, o seu amor eterno está com os que o temem, e a sua justiça com os filhos dos seus filhos,
com os que guardam a sua aliança e se lembram de obedecer aos seus preceitos.
(Salmos 103:17,18)

Esse amor está para com aqueles que o temem e esse amor é eterno não tem fim, somos amadas e esse amor não é aquele que guarda rancor e nem trata a gente segundo os nossos pecados é um amor tão profundo e que nossa mente pequena não entende. 
"justiça" retidão , aqueles que andam de acordo com sua vontade andam na retidão de seus caminhos e obedecer a sua palavra. 
 Esse salmo 103, mostra o grande amor fiel do nosso com o seus filhos, ele cuida de nós e nunca nos abandona, ele sabe quem somos (Sl 103.14), mesmo ele sabendo quem a gente é de verdade nos ama, esse amor vai além do entendimento humano.
 Nós mulheres sofremos muitas vezes, quando achamos muitas vezes que o ímpio pode ser mais amado do que nós por conta das situações mas não devemos ficar assim triste e sem esperança no amor de Cristo por causa das situações, somos amadas e isso não pode mudar o nosso Deus pois Ele não muda. Podemos muitas vezes nos sentir abandonadas, mas esses versículos nos mostra que o nosso Deus nos ama de uma tal forma que entregou o seu ÚNICO filho para morrer por pecadores como nós (Jo.3.16), não somos mal amadas, o  próprio Deus se entregou na cruz por amor de nós, isso não precisou de nós mas dEle. E não devemos viver da forma que queremos, hoje pertencemos á um Deus e devemos prestar obediência a sua doce palavra e viver para glória dEle somente.
 Que não deixemos que o amor por Deus se apague, retornemos ao primeiro amor e as boas obras. 
       O amor de Cristo em sua doçura, plenitude, grandeza e fidelidade, excede toda a compreensão humana. As palavras são incapazes de descrever o incomparável amor dele para com os homens. Este amor é tão amplo e ilimitado, que, assim como a andorinha desliza pela superfície da água e não mergulha às profundezas, assim também as palavras descritivas apenas tocam a superfície deste amor, enquanto profundezas insondáveis permanecem embaixo. Bem diria o profeta: “Ó amor, tua profundidade é impenetrável!” pois este amor de Cristo é de fato, sem medida e sem fim; nenhum outro pode igualar-se.
C. H.  Spurgeon

  •    Yas Almeida 

Nossa Beleza..

sexta-feira, 21 de julho de 2017 Nenhum comentário





















    A beleza de vocês não deve estar nos enfeites exteriores, como cabelos trançados e joias de ouro ou roupas finas. Ao contrário, esteja no seu interior, que não perece, beleza demonstrada num espírito dócil e tranquilo, o que é de grande valor para Deus. 
     1 Pedro 3:3-4 

 Esta passagem é bem conhecida no nosso meio e muitas vezes mal interpretada. O que Pedro está dizendo aqui é que o foco de nossa vida não deve ser priorizar a beleza exterior, mas sim, a interior. Mas isso não quer dizer que nós mulheres vamos nos relaxar, ultimamente tenho observado bastante que quando se trata do exterior, querendo ou não acabamos focamos nisso e deixarmos de lado o que mais é importante, para o Senhor é o nosso interior. É difícil demais se cuidar exteriormente sem deixar que isso vire foco e precisamos estar com os olhos fixos em Deus e no que Ele quer de nós.
  Temos que nos cuidar exteriormente, porém não colocando isso em primeiro lugar e sim a santificação, buscando conhecer e se transformar pela a leitura bíblica e oração que andam juntos. Não podemos ser relaxadas, temos que glorificar á Cristo, pois pertencemos à Ele e isso é o propósito de todo cristão (1 Co: 6.20) O nosso dever é glorificá-lo através de nosso corpo, não expondo o que temos, mas sendo moças piedosas no nosso vestir e nas nossas atitudes, lembrando que temos que ser diferente do mundo e sendo assim glorifiquemos ao Senhor o Deus de nossas vidas que nos comprou pelo o alto preço lá na cruz.
 Qual a importância então de cuidar do nosso interior? É o que o versículo em 1 Pedro nos orienta "beleza demonstrada num espírito dócil e tranquilo, o que é de grande valor para Deus." Resumindo tudo, todo o nosso corpo exteriormente e interiormente deve glorificar a Cristo, nossas atitudes mostra quem nos guia, nossas ações revela o que está em nosso coração e isso é a importância de termos leitura diária, de priorizar o tempo de oração para que sejamos semelhantes ao nosso Deus (1Co. 11.1; Ef.5.1). 
  Portanto, nossa beleza não tem que estar SOMENTE no nosso exterior, mas principalmente interiormente é o que mais agrada ao nosso Deus, não adianta estarmos lindas e bem cuidados por fora e por dentro não temer ao Senhor. A beleza interior é aquela que conserva as verdades de Cristo e á que teme ao Senhor (Provérbios 31:30). Nosso exterior é passageiro, mas o caráter transformado por Cristo é para nossa vida toda. Devemos glorificar Aquele que nos libertou das trevas e nos trouxe para o seu reino, não fazer isso por obrigação, mas por gratidão em saber que não somos nada e foi Ele que tomou a iniciativa de nos salvar se não fosse Deus estávamos perdidas, vivemos como mulheres digna do qual fomos chamadas, tudo para glória dEle somente.
  Em um mundo que o exterior é mais valorizado do que o caráter, devemos cuidar muito mais do nosso interior.

   "A beleza de uma mulher começa no seu coração."
(Paul Washer)
#SoliDeoGloria  ♥


 -- Yas Almeida

Onde encontrar a paz ?

quarta-feira, 12 de julho de 2017 Nenhum comentário
 

Nesta vida passamos por muitas dificuldades e faz com que a gente desanime e fique perturbadas com tantas adversidades. Um versículo muito conhecido que Jesus fala: 
   "Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo". 
João 16:33 
 Ele estava se referindo as perseguições que os discípulos iriam enfrentar, mas para nós hoje que constantemente passamos por muitas coisas e isso nos abala muito fazendo com que possamos olhar para esta vida e procurar algo que nos der paz, seja uma conversa com alguma amiga, seja ver filmes ou séries entre outras coisas, tudo para que esqueça de seus problemas e da confusão que está dentro de si. Mas nós cristãs esquecemos facilmente de Cristo, aquele que hoje sabe o que passamos e tem misericórdia de nós, este versículo nos dá a ideia que somente nEle encontramos a paz no meio de tantas coisas. Ele nos deu paz e reconciliação para com o próprio Deus e hoje nós gentios podemos chegar mais perto de Deus com confiança de não sermos consumidos por causa de sua ira, e podemos experimentar essa paz que somente encontramos nEle. A paz que Cristo nos deu, que é mencionado em Ef. 2.14 é o livre acesso ao Pai de falar com ele e ter comunhão com ele e os nossos irmãos, ele não somente nos deu esta paz de ter acesso ao Pai, mas, também, para experimentarmos essa paz nos momentos mais difíceis, por mais que pareça terrível o que estamos passando, devemos nos lembrarmos de Cristo e que estamos sujeitas a passar por situações ruins nesta vida, porém a diferença é que hoje nós podemos experimentar através da oração e da leitura bíblica a paz de Cristo, Ele não só nos deu paz mas Ele tem a paz, somente em Deus encontramos descanso para nossa alma aflita. Ele está conosco todo o momento, e muitas vezes desprezamos sua presença e preferimos fazer outras coisas e não ir para Ele. 
    No dia do perigo clamo a ti, porque tu me respondes. (Sl 86.7) 
  A confiança do salmista que no meio da aflição ele podia contar com o Senhor. Os salmos nos ensina muito em relação á isso, nos faz entender que somente em Deus temos paz para nossa alma bagunçada. Deus é o nosso castelo forte, onde estamos seguros e em paz. 
    Vale lembrar que se hoje temos essa paz em Cristo não foi por causa de nosso próprio mérito e sim por causa de sua obra redentora e graça.  A paz que temos hoje é suficiente para nos acalmar nos momentos difíceis, que é a paz com o próprio Deus, que possamos confiar mais nEle
    " De onde vem a paz que tenho agora
A calma após a chuva
Não sou merecedor mas tenho Cristo
E ele me tem
Não pertenço a mim mesmo mais
De onde vem a paz.."  (Os Arrais - De Onde Vem a Paz )      —  Yas Almeida
 
Desenvolvido por Michelly Melo.